Pesquisa personalizada

terça-feira, 2 de agosto de 2011

São Paulo - minha "terrinha"


Ligação entre pontos turísticos de São Paulo, o Viaduto do Chá enfrentou resistência antes mesmo de ser erguido. Moradores da região, como Barão de Tatuí, não queriam sair de suas casas, que precisavam ser desapropriadas. O embate atrasou as obras por quatro anos.

Na Praça Ramos de Azevedo está o Theatro Municipal. Com inspiração na arquitetura francesa, a elite paulista passava suas noites assistindo a peças de teatro e óperas. Tudo começou a mudar quando jovens artistas decidiram realizar ali, em 1922, a Semana de Arte Moderna.


O Solar da Marquesa se mantém como o último exemplar residencial da arquitetura do século XVII. A Marquesa de Santos, a famosa amante de Dom Pedro I, comprou a residência em 1834 e com o passar dos anos o edifício passou para os órgãos públicos e é atualmente um museu.


O histórico prédio do Shopping Light foi erguido em 1929 para ser sede da Companhia Elétrica de São Paulo. Tombado pelo Patrimônio Histórico, o edifício se transformou em um shopping e esses detalhes em vermelho são revestimento que a empresa administradora decidiu colocar nas janelas; eles não estavam na arquitetura original.


O cartão postal de São Paulo: Avenida Paulista. Coração comercial, palco de manifestações e celebrações.


Talvez se não fosse pela música, a esquina da São João com a Ipiranga seria apenas mais uma local na cidade. Não tem quem não pare o carro e tire uma foto com a placa de sinalização. A região não é muito segura para os visitantes e, caso você queira estar no local de inspiração de Caetano Veloso, vá durante o dia.


Antes de São Paulo ser a megalópole que é, a Praça da República era o local que os paulistanos assistiam a rodeios. Com o tempo, a Praça virou palco de manifestações pela revolução constitucionalista e contra a ditadura. Atualmente, nos fins de semana, ela abriga uma feira de artesanato.


Foi às margens do Ipiranga que o Brasil deu o seu grito de liberdade. Ou pelo menos é o que conta a história. O Rio Ipiranga é, na verdade, um Riacho que cruza o parque.


Somente em São Paulo você abre a janela do seu quarto e dá de cara com uma avenida extremamente movimentada. Apelidado de minhocão, o Elevado Costa e Silva fica fechado aos domingos e os paulistanos podem fazer caminhadas e andar de skate. A obra fica a cinco metros dos prédios e é considerada a ‘aberração da arquitetura’.



Na Praça Ramos de Azevedo, um arquiteto italiano decidiu trazer a ideia da famosa Fontana di Trevi, na Itália, para o Brasil, e assim nascia a Fonte dos Desejos – Glória. As esculturas em mármore são uma homenagem aos personagens criados pelo maestro Carlos Gomes, importante compositor de óperas.



A obra do gênio arquitetônico Oscar Niemayer, o Copan, quase ficou inacabado devido à falta de investimentos. O prédio era um presente para os 400 anos da cidade e todos o viam como símbolo de modernidade, porém o centro de São Paulo começou a se desvalorizar e o residencial passou a ser visto como cortiço. Hoje essa imagem ficou para trás.



A Arquidiocese da Igreja Católica Ortodoxa é uma obra que chama a atenção daqueles que estão no centro da cidade. Ela foi projetada para ser semelhante à Basílica de Santa Sofia de Istambul e, assim como as obras do império bizantino, a cúpula precisa estar no centro da construção.



A Catedral da Sé ou Metropolitana tem muito mais história do que aparenta. Em caminhos subterrâneos existe um salão gótico onde estão enterrados bispos de São Paulo e personalidades importantes da cidade. A Catedral da Sé tem o maior órgão de tubos do Brasil, doado por uma empresa de bebidas.



O Circuito Internacional de Interlagos é responsável por injetar milhões de reais na economia da cidade. A Fórmula 1 é um dos principais eventos sediados no Autódromo e desde a sua construção, em 1942, a pista já foi modificada quatro vezes.

Texto e imagens: Mala Pronta.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

cultura_R